Espaços Culturais | CCON

Comparativo

O prédio tem 6.373,00 m², com três pavimentos, subsolo e cobertura, todo climatizado, construído sobre pilotis, onde funciona a parte administrativa; auditório com 114 lugares; biblioteca eminentemente cultural, com 45 mil livros, biblioteca infantil, com 5 mil volumes e biblioteca virtual (TODAS ELAS EM FASE DE IMPLANTAÇÃO); um restaurante em dois ambientes com vista panorâmica (EM LICITAÇÃO) e estacionamento com 473 vagas.

 

Veja Plantas, Cortes e Fachadas

 

Espaço de 6.403,14 m² em dois níveis:

Nível térreo: Plateia Superior com 222 fixas, dois bares, 06 banheiros.
Entrada pela esplanada independente da plateia inferior com acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência.

Nível Subsolo

Plateia Inferior: Com mobilidade para acomodação de 1.400 a 3.000 pessoas. Os formatos: 1.400 lugares, com mesas e cadeiras; 1.500 lugares no formato auditório e 3.000 lugares sem mesas e cadeiras. Com estrutura de dois bares, duas cozinhas de apoio, além de 4 banheiros.

Palco: Mede 17 metros de largura e 10 metros de profundidade; tem, ainda, fosso para orquestra; boca de cena com 6 metros de altura e  camarins.

Camarins: Dois camarins individuais e três coletivos; dois vestiários coletivos; além de seis salas administrativas. O espaço é todo climatizado com entrada de carga e descarga com 530,50 m² e duas saídas de emergência.

 

Veja Plantas, Cortes e Fachadas

 

O Monumento aos Direitos Humanos tem 380,22 m² e abriga o auditório Lygia Rassi, medindo 198,60 m², com 166 lugares; palco com 18,72 m², sala de projeção, dois sanitários e ar condicionado central.  Compondo ainda a parte interna, tem a Sala Célia Câmara, medindo 181,62 m², com jardim de inverno, copa para coquetéis, dois sanitários e salão de exposições. Nas palavras de Niemeyer: "um grande triângulo vermelho que confere ao projeto a importância desejada!".

 

Veja Plantas, Cortes e Fachadas

O Museu de Arte Contemporânea - MAC - mede 2.483,87 m² de área útil que abrigam três galerias de arte, salas administrativas, banheiros, copas e ar condicionado central.

De forma cilíndrica, com 34 metros de diâmetro, em dois níveis, compreende: mezanino para exposições temporárias, com 472,20 m²; piso, com 980 m², com pé direito, variando entre 3,30 metros a 7,70 metros, para exposições permanentes do acervo, podendo, esporadicamente, receber exposições temporárias; e as galerias de arte D. J. Oliveira (318,55 m²) e Cleber Gouvêa (290,84 m²), que situam-se no subsolo, abaixo da Esplanada.

 

Veja Plantas, Cortes e Fachadas

A esplanada JK mede 19.645 m2, com versatilidade para usos diversos, tais como: exposições, apresentações artísticas, lazer e entretenimento. O espaço é servido por linhas de transporte coletivo, heliponto, dois acessos às rodovias GO-020 e BR-153, além de estacionamento, com capacidade para 473 veículos.

A esplanada recebe o nome do ex-presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek; médico militar e político, nascido na cidade de Diamantina, Minas Gerais. JK governou o país entre 1956 e 1961 e foi o responsável pela transferência da capital brasileira, Brasília, para o Centro-Oeste. No ano de 2001, foi escolhido o "Brasileiro do Século".

Juscelino Kubitschek e Oscar Niemeyer são nomes que expressam uma época de criatividade e ousadia do Brasil nas décadas de 1950 e 1960. .

 

Veja Plantas, Cortes e Fachadas